Gabriel García Márquez: um contista inesquecível

“Um homem só tem o direito de olhar outro de cima para baixo para ajudá-lo a levantar-se”. Quem um dia expressou este pensamento foi o inesquecível escritor, jornalista e ativista colombiano Gabriel García Márquez (1927-2014), que se exilou no México a partir de 1961 até sua morte, no último dia 17 de abril. O autor foi responsável por trazer à luz uma literatura latina cativante, desnudada e impregnada de raízes e do chamado realismo fantástico, que foi importante para atrair leitores de diferentes gerações. Ele sabia descrever ambientes, no contexto físico e da atmosfera, como ninguém. “Cem Anos de Solidão”, que escreveu em 1967, talvez seja uma das obras mais ricas de todos os tempos, com cerca de 50 milhões de exemplares vendidos. Ao se ler a saga da família Buendía, na aldeia de Macondo, é difícil não trazê-la impregnada em nossas memórias.