Desastres naturais: o desafio na prevenção e na emergência no Sul e Sudeste

A incidência dos altos índices pluviométricos nas regiões Sul e Sudeste, neste verão, com estimativas acumuladas até fevereiro do ano que vem, de chegar a 1400 mm já sinalizam as dificuldades contínuas identificadas anteriormente na série histórica em ambas as regiões. O que está mudando aos poucos é a cultura de mitigação (redução de danos) e adaptação aos eventos extremos e aos desastres naturais no país.